Banner
Banner
Banner

Pontos Turísticos de São Mateus


Porto de São Mateus

O movimento no Porto de São Mateus era intenso, com os trapiches cheios de mercadorias para exportação. Os armazéns vendiam mercadorias aos moradores locais e aos das vila do interior como Barra de São Francisco, Nova Venécia, Boa Esperança, Jaguaré e outras, todas ainda pertencentes ao território de São Mateus. Por causa da pouca profundidade e largura do rio, em alguns lugares, os navios só podiam entrar ou sair de 15 em 15 dias, nas luas cheias e novas, quando as marés são mais altas.

O Porto de São Mateus , tornou-se um dos mais importantes da costa brasileira por causa da produção de farinha de mandioca, café e exportação de madeira.

Tornou-se necessário e importante para Portugal, pois o Rio Cricaré nascia na Serra da Safira, em Minas Gerais, alcançando as minas de ouro na região de Ouro Preto.

No Porto de São Mateus também desembarcaram grande parte dos negros escravizados que vieram para o Brasil e foi nele que foi apreendido o último carregamento clandestino na costa brasileira em 1856, quando foi aprisionado por uma escuna norte-americana na barra de São Mateus com 350 africanos.



Museu Histórico Municipal

A antiga Casa de Câmara e Cadeia, sua construção data de 1764. Na parte superior ficava a sede da câmara e, na inferior a cadeia. O pelourinho ficava nas proximidades. A cadeia ficou ali instalada até metade do século XX e a sede municipal, até a década de 1980. O Museu Histórico está ali alojado desde 2001, lá podem ser encontradas urnas funerárias de cerâmica de origem tupi, documentos e móveis de época. O Museu Histórico de São Mateus está situado na praça São Mateus no centro da cidade.


Museu Eclesiástico de Arte Sacra

O Museu Eclesiástico de Arte Sacra é pertencente a Diocese de São Mateus, mas é administrado pela prefeitura municipal. Lá se encontram expostas imagens sacras dos séculos XVII, XVIII, XIX e XX, além de vários outros objetos sacros, vestes sacerdotais e episcopais e fotografias dos vários aspectos da história da igreja católica em São Mateus e municípios do norte capixaba.

 

Igreja Velha

Construção do século XIX, foi projetada, a mando dos jesuítas, para ser a maior igreja da cidade. Em 1853, por decisão da Câmara Municipal de São Mateus, a obra foi paralisada. Está localizada na parte alta de São Mateus e foi construída por escravos negros, a base de argamassa de óleo de baleia e cal.


Igreja Matriz

Localizada na praça municipal, centro, foi construída pelos jesuítas antes de 1764. Depois de um incêndio no altar-mor , em 1949, um novo altar foi construído nos moldes do anterior. Sob a torre, está localizado o túmulo de Dom José Davit, primeiro bispo de São Mateus.


Igreja de São Benedito

Construção jesuítica localizada n praça com o mesmo nome, no Centro. A data provável de sua construção é do início do século XVIII. Até o final do século XIX era chamada de capela de Nossa Senhora do Rosário. No século XX passou a ser conhecida como Igreja de São Benedito. Nesta igreja são realizadas celebrações afros, sendo a mais importante a do dia 27 de dezembro, feriado municipal.


Biquinha

Reservatório de água potável que é recolhida de várias nascentes na avenida Cricaré, construído em 1880, de onde foi encanada a água que jorrava no chafariz do Porto até meados da década de 1960.

 
Banner
Banner
Banner
Banner